24 de setembro de 2009

CURIOSIDADES QUE NÃO LEMBRAM AO DIABO II

Estou a ler o livro The Kitchen Boy - Os últimos dias dos Romanov. Sabiam que o czar sofria de hemorróidas: naquela mesma semana já fora obrigado a ficar de cama um dia inteiro. Mais à frente encontramos a confirmação:
Quinta feira, 6 de Junho. Todo o dia tive dores horríveis por causa das hemorróidas, de maneira que não saí da cama, porque assim era mais cómodo aplicar as compressas.

20 de setembro de 2009

CURIOSIDADES QUE NÃO LEMBRAM AO DIABO


Por cada português no mundo existem 3 nepaleses.

Aparentemente o teto do mundo está mais populado que a subcave -3.

9 de setembro de 2009

O BOM E O MAU

O bom e o mau. Um título certamente sugestivo. O bom podemos dizer que foram as férias; o mau a terrível tristeza que assolou este lugar nos últimos meses, ou talvez o novo penteado do Fábio Coentrão. Vamos retomar a alegria? Vamos ser felizes? Vamos! Confesso que estava com saudades.
O bom e o mau não é nada disto. Hoje o tema é cinema. Na última semana fui por duas vezes ao cinema o que não é muito comum apesar de gostar muito. Na verdade a dicotomia não é bem entre o bom e o mau. Digamos que é entre o mais ou menos e o muito bom. Quando digo mais ou menos falo no novo filme de Sacha Baron Cohen: Brüno! Depois de Ali G Indahouse e Borat: Cultural Learnings of America for Make Benefit Glorious Nation of Kazakhstan, o actor inglês voltou a vestir a pele de mais uma estranha personagem apelidada de Brüno. Brüno é um homossexual austríaco que procura incessantemente o estrelato vendo-se obrigado a viajar até os E.U.A. (curiosamente, mais uma vez!). Lo que pasa é que nem todas as cenas são bonitas. Enquanto algumas nos permitem atingir um momento de satisfação e regozijo como o Today with Richard Bey outras porém, metem nojo até ao José Castelo Branco! Esta combinação torna o filme excessivamente vulgar o que, na minha opinião, não permite atingir os níveis de sucesso que teve o Borat.
O bom por seu lado revelou-se em Inglourious Basterds ou em português Sacanas sem lei. O novo filme de Tarantino, que muitos afirmam ser a sua obra-prima, não podia ser melhor! Com muito humor e também muito sangue à mistura como todos os “tarantino”, o autor dá um final da segunda grande guerra que muitos desejaram e engendraram. Não adianto muitos mais pormenores para não estragar a surpresa. Recomendo vivamente!