11 de julho de 2008

PALAVREADO COMPRIDO

Quando se pensa em palavras grandes normalmente vem à cabeça otorrinolaringologista. No entanto, muitos sabem que inconstitucionalissimamente é maior, o que é uma bela duma parvoíce já que o adjectivo "constitucional" não admite graus. Não há coisas mais constitucionais do que outras, há coisas constitucionais e coisas inconstitucionais. Acima de tudo não há coisas constitucionais ao ponto de serem extremamente constitucionais. Além disso é estúpido usá-la numa conversa.

- Ó coiso, já me viste esta nova lei do governo?
- Já, é altamente inconstitucional.
- Inconstitucionalíssima, diria mesmo.
- Sim, foi inconstitucionalissimamente feita.
- Inconsticucionalissimamente, mesmo.
- Fiquei rouco com isto, pá. Tens pastilhas para a garganta?
- Não. Vai ao otorrinolaringologista ver isso.

Contudo, após apurada pesquisa (fui por engano parar a um blogue que discutia isto das palavras compridas) descobri que não, afinal a maior palavra em português tem 46 letras e é do ramo da medicina.

Antes de a revelar, vamos ao top 5.

Em 5.º lugar temos o tal inconstitucionalissimamente (27 letras), e em 4.º oftalmotorrinolaringologista (28 letras) que para além dos ouvidos, nariz e garganta, também trata dos olhos, coitado.

Em 3.º lugar está uma fobia: hipopotomonstrosesquipedaliofobia. À partida parece um desvio sexual qualquer que meta hipopótamos e pedais, mas coisas sexuais acabam em "-filia" e não em "-fobia". E de que tem medo alguém que sofra de hipopotomonstrosesquipedaliofobia? De pronunciar palavras grandes ou complicadas, claro. Aparentemente é uma coisa da qual não padeço. Pelo menos não me sinto até agora afectado.

Em 2.º e 1.º lugares estão uma doença e o nome de quem a tem. A doença é a pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiose (44 letras) e quem sofre desta maleita é um pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiótico (46 letras). Trata-se duma doença pulmonar causada pela aspiração de cinzas vulcânicas. Deve ter estado na berra na altura de Pompeia, porque nunca tinha ouvido falar disto. Deve ser chato, no entanto, ter de explicar porque é que se está rouco:

- Epá, apanhei uma bela duma pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiose quando fui dar uma passeata pelo Vesúvio e fiquei assim apanhado da garganta, que é que se há de fazer.
- Cala-te lá, pá! Então não sabes que tenho hipopotomonstrosesquipedaliofobia? Tenho medo de palavras grandes!

E pronto, aqui está um paradoxo estúpido. Como é que um hipopotomonstrosesquipedaliofóbico explica que tem essa fobia?

Há gente chalupa para todos os gostos, chiça...

PS - Esta classificação é estúpida, já que hipopotomonstrosesquipedaliofóbico tem mais uma letra do que hipopotomonstrosesquipedaliofobia o que faz da palavra a verdadeira 3.ª classificada. Mas para que é que isso interesa, não é?

1 comentário:

tiagugrilu disse...

Excelente post.

Curti o ps e o facto de não te apetecer mudar o que já tinahs escrito.

Cumprimentos relaxados de sexta feira.

Grilus