26 de dezembro de 2007

A HORA DA PIADA SECA I

Hoje vou dar início a uma nova saga do Gameirices. Assim com JGP tem as suas "Curtas", vou começar a desenvolver, ocasionalmente, as "Secas"!
E o que são as secas?

Bom... ainda não as sei definir correctamente, uma vez que só agora vou dar início ao grandioso projecto, mas já tenho uma ideia. As "Secas" vão ser qualquer coisa que se pareça com piadas secas ou de mau gosto. Assim, como tenho uma fraca memória para piadas, ao registá-las vai ser mais fácil lembrar-me delas mais tarde.

Por exemplo: Piadas em relação ao Dino. Ainda se lembram? Aquele charado dos morangos com açucar? (estas já estão um bocado desactualizadas, mas enfim...)

1. O que é que o eucalipto diz para o carro do Dino?
Rsp: Toma lá morangos!!

2. Quem é que ficou a ganhar com a morte do Dino?
Rsp: A Diana Chaves, uma vez que passou a ser sempre a empregada do mês.

3. O que é o Dino faria neste momento se estivesse vivo?
Rsp: Aranhava o caixão.

4. Quem é o novo membro da família Adams?
Rsp: Francisco Adam!

5. Não me lembro de mais...

E está feito.

Realmente são um bocado... digamos, porcas, mas têm de ficar escritas. E não pensem que este post tem alguma relação com o meu ódio pessoal a pessoas que gostam de levar uma prancha para a praia.

Até à próxima.

25 de dezembro de 2007

CRAZY INDIAN MUSIC

Não gosto de abusar dos filmes, mas este é bom demais para não o colacar à disposição dos estimados visitantes imediatamente!

As danças que vos apresento são melhores que as do Borat.

24 de dezembro de 2007

BOM NATAL



Toca a comprar meninas!

P.S. - Post histórico. É o 200º.

20 de dezembro de 2007

COMIDA FESTIVA

Peru recheado. Bacalhau espiritual. Os dois pratos mais comidos pelas famílias portuguesas na ceia de Natal. Nunca como nenhum.

Não me conseguem convencer que o peru não é mais do que a classe alta do frango. E para comer peru, prefiro em bifes e panados. Já o bacalhau é muito salgado, e tem demasiado azeite.

A alternativa? Ferrero Rocher.

Mãos deles. Um taça inteira. Até ficar com a boca castanha do chocolate e com pedaços de amêndoas presos nos dentes. Isso, para mim, é o Natal. Como um croquete, um rissolinho também vai, como uma rabanada, um sonho, uma tosta qualquer, mas quando me põem Ferrero Rochers à frente é comer até sentir que se calhar devia tomar um Imodium Rapid.

Como brinde, tomem lá o anúncio. Só consegui encontrar a segunda versão em português. Mas numa versão italiana encontrei o original, com o lendário Ambrósio.





Em português era: "Ambrósio?" - "Sim, senhora." - "Apetecia-me tomar algo." - "Paramos para tomar alguma coisa, senhora?" - "Não. Apetecia-me algo bom. Apetecia-me Ferrero Rocher." - "Tomei a liberdade de pensar nisso, senhora." - (sai a pirâmide de Ferrero Rochers) "Oh! Bravo Ambrósio" - (voz off) Ferrero Rocher, satisfaz um desejo de requinte.

14 de dezembro de 2007

SAUDADES

Rua Sésamo. Nostálgico.



Reparem na cara final. Foi daqui que os Malucos do Riso plagiaram o final de todas as suas piadas.

PS - O que eu gostava de ver uma plantação de agripinos...

O SIGNIFICADO

Tenho um post meio feito sobre cartões de mediums e videntes daqueles tipo Professor Mamadu, mas a matéria é tão extensa e cheia de potencial em toda a sua essência que me tem sido impossível terminar o post. Provavelmente tratá-lo-ei por tópicos.

Por isso, hoje, rebuscando o nosso baú de ideias para posts lembrei-me de algo nunca antes explicado.

O que é uma gameirice?

Sim. Esta espelunca tem 3 anos e ainda ninguém explicou o que é, de facto, uma gameirice.

Etimologicamente, um gameiro é um terreno onde havia gamos (cervídeos tipo renas, ou alces). A definição dicionarística de uma gameirice terá necessariamente de ser algo como "acto digno de um gamo".

Ora, cervídeos não é nenhum dos temas até agora tratado aqui. Se bem que DGC é castiço o suficiente para gostar de caça. Mas, de qualquer forma, ainda não foi tratado.

Fica assim, lançado o desafio. Aliás, acho que posso chamar quimera. Fica lançada esta quimera para encontrar o verdadeiro significado da palavra gameirice.

Já agora, fiquem sabendo os significados de algumas outras palavras relacionadas com este blog:

(por ordem alfabética)
Almeidisse
Uma almeidisse é o acto de não apenas achar que tudo que se diz está absoluta e inquestionavelmente correcto, mas também convencer por completo o interlocutor de que o que aquilo que diz é umas das leis basilares do universo. Seja a conversa sobre a teoria da criação, música ou baton para o cieiro.

Coutinhisse
Uma coutinhisse é algo simples e com que de certeza já se depararam no vosso dia-a-dia. É a capacidade de ripostar a ataques pessoais juntanto apenas a expressão "o quê!" no seu final. Exemplo: "Epá, não sabes jogar FIFA", "Conduzes muita mal", "Nem sequer sabes saltar ao eixo!"; respostas: "Não sei jogar FIFA, o quê!", "Conduzo mal, o quê!", "Nem sequer sei saltar ao eixo, o quê!" (reparem no pormenor de deixar ficar o "nem sequer sei"; se fosse só "Não sei saltar ao eixo, o quê!" não estaria correcto, ou pelo menos, nunca seria classificado como uma coutinhisse.)

Faustinisse
Uma faustinisse (ou faustisse, segundo alguns autores) é a capacidade ultra-rara de conseguir introduzir um inuendo altamente ordinário e sexual na mais simples e bonita das coisas. Se carros e veículos motorizados vários estiverem envolvidos tanto melhor. Não vou dar exemplos, mas imaginem o que é conseguir proceder a transformação da frase "O sol raiava, os passarinhos cantavam e o cheiro das flores inundou toda essa manhã de Primavera" em algo que faça corar o Quim Barreiros ou o Fernando Rocha.

Veiguisse
Uma veiguisse é a transposição rápida em palavras (sem passar pelo cérebro e sistema nervoso) de uma desculpa esfarrapada para um erro crasso praticado milésimos de segundo antes. Exemplos: falhar um remate a jogar FIFA: "Ai, escorregou o dedo no botão do comando."; tropeçar na bola quando se vai rematar: "Epá, o sol está mesmo a bater-me de frente"; fazer um prego com as mudanças do carro: "Sabes o que é, isto é de quase não conduzir na República Checa."

Esclarecidos? Ainda bem.


PS - Já agora: uma almeida é um tipo de chão plano, ou um planalto, um couto é um tipo de propriedade medieval; fausto significa ostentação; e uma veiga é uma planície fértil. Portanto é possível que haja um couto constituído por almeidas e veigas, e com um gameiro também, cheio de gamos a saltitar. Se houver é de certeza um couto muito faustoso.

9 de dezembro de 2007

TRIUMPH

Qual será a melhor maneira de reduzir os acidentes na Segunda Circular? Radares?? Alguém já pensou em retirar os cartazes da Triumph? Talvez fosse mais eficaz.

Não é por acaso que todos os dias ouvimos "acidente à entrada da Segunda Circular no sentido Norte-Sul. Um carro que se terá despistado embateu..." Blábláblá.

É óbvio que qualquer homem que entre em Lisboa pela A1 a primeira coisa que vai reparar é na enorme fotografia da Cláudia Vieira a desejar-nos bom Natal e não nos carros que tem à sua frente. E o que é que os mais alarves pensam: "Bom natal!? Bom Natal seria se o menino Jesus me deixasse um presentinho como tu!".

Ok, mas não pensem que isso me veio à cabeça! É verdade que reparo sempre se já mudaram o cartaz e, quando não há nenhum, fico sempre desiludido. Isabel Figueira, Marisa Cruz, Cláudia Vieira... Quem se seguirá?

E este foi mais um interessantíssimo post sobre um desinteressantíssimo tema. Acho que já são 143.

6 de dezembro de 2007

NEVOEIRO DO CAMANDRO

Se na República Checa deve andar a cair neve ao magotes, por cá temos uma versão foleira da coisa. Não me lembro de haver 2 dias seguidos em que o nevoeiro estive permanentemente a fazer-me festinhas na cabeça. Parece que estamos dentro da fornalha de uma fábrica de cimento, só que com frio. Ligar as luzes de nevoeiro de manhãzinha já me tinha acontecido, agora ligá-las às 2h da tarde é obra. São Pedro deve estar a esfregar as mãos de contente, ou então devia deixar de fumar.

Isto faz-me lembrar uma história. Uma das perguntas que o examinador me fez no meu primeiro e brilhante exame de condução (que chumbei) foi "Sabe ligar as luzes de nevoeiro?". Pergunta à qual respondi com a maior das confianças: "Claro que sim, Sr. Antunes." Não se chamava Antunes, mas acho um nome perfeitamente adequado a um examinador. Enquanto dizia estas palavras pensava para dentro "Epá, como é que era, como é que era, como é que era, como é que era?..." chegando a conclusão que tinha de encontrar um botão qualquer. Aí ele ripostou qualquer coisa que pode ter sido algo como "Então ligue-as lá" ou então "Mas eu não me chamo Antunes", não me lembro bem. Só sei que subitamente me lembrei do sítio do botão, levando lampeiro o dedo ao dito cujo. Carreguei. Nada. Carreguei outra vez. Nada. Olhei para a cara do Sr. Antunes. Nada. Disse "Que estranho..." e voltei a carregar.

"Deixe lá estar isso. Não vale a pena tentar mais, já vi que não sabe", ouvi. Mas o que queria ter ouvido era mais um "Deixe lá estar isso. As luzes devem estar fundidas".

Fica então o aviso para todos os que estão neste momento a tirar a carta. Para ligar as luzes de nevoeiro tem de se ligar primeiro os médios. Para quem não sabe o que são os "médios", então é melhor começar a pensar em desistir da ideia de tirar a carta e compre já mas é o passe para Dezembro.

De referir também que a razão de ter chumbado não teve nada a ver com não saber ligar as luzes de nevoeiro. Ao que parece pessoas como o Sr. Antunes não são apologistas da ideia de passar com o sinal vermelho.

PS - Hoje recordei-me disto porque me lembrei à primeira, quando ia para a faculdade, que devia ligar os médios primeiro antes das luzes de nevoeiro. Para a próxima tenho de me lembrar é de desligar as luzes todas quando estaciono o carro. Lembrei-me uns 10 minutos depois e tive de vir cá fora desligá-las antes que a viatura ficasse sem bateria.

5 de dezembro de 2007

O TÍTULO É: NÃO TENHO IDEIA NENHUMA

Este blog está, na minha opinião, a tornar-se extremamente desinteressante. Há que fazer qualquer coisa! Pelos meus lados não reina a imaginação para escrever nada, e os trabalhos e testes na faculdade também não ajudam. Nem para escrever este miserável post tenho ideias de alegrar a coisa... Não sei o que se está a passar. Amanhã mudo para ares ribatejanos durante uns 5 dias. Pode ser que depois disso me venham ideias, ou aconteça algo de tal forma estúpido que me faça perder algum tempo a escrever um texto recheado de porcaria e algum, vá lá, sarcasmo. De facto é o mais provável porque o que não faltam são temas e acontecimentos idiotas neste país.

Se ao menos todos os colaboradores deste blog se lembrassem da sua existência talvez isto tivesse mais animação. A falta de imaginação de uns seria compensada pelos outros. Mas como estarem aqui ou não é igual, isto vai continuar a ser assim. Uma pasmaceira! Ou como diria um dos nossos leitores, apenas um blog perdido no cibermundo. Esperemos que melhores dias venham aí.

Vá lá! Façam qualquer coisa.

4 de dezembro de 2007

CURTAS V

Se o meu sistema nervoso se deixasse afectar pelo Benfica acho que há muito que dormia numa cama reservada ali no cruzamento da Av. Roma com a Av. do Brasil.

3 de dezembro de 2007

NÃO HÁ PAPEL


Sempre admirei a capacidade dos autores do MacGyver para fazer uma série estimulante sem terem argumento. Mas fazer uma retro-escavadora com cascas de laranja, palitos e um dedal não é para qualquer um.