1 de julho de 2008

PASSO A PASSO

Bons tempos os tempos de criança em que vivíamos na inconsciência, tempos sem preocupações. Às vezes sinto saudades mas não sou daquelas pessoas que procura incessantemente a resposta à felicidade naquilo que a fugacidade do tempo levou. Na vida tudo tem o seu momento de ser. Há tempo para sermos crianças, tempo para sermos adolescentes e tempo para sermos adultos. Cada etapa é uma breve e intensa passagem à qual estão associados os prazeres comuns da mesma. A vida não é imutável. Altera-se constantemente. Cabe-nos a nós escolher as melhores alternativas face aos problemas que constantemente nos surgem, viver o melhor possível, descobrir e amar. Porque viver é amar e amar é ser feliz! Aconteça o que acontecer é para isso que cá estamos, é essa a nossa missão.
Pessoalmente não gosto de revelar certas vivências. Guardo-as para mim porque só a mim dizem respeito e só a mim pertencem. Nisso sou um bocado egoísta. Contudo, algumas não tenho qualquer problema em partilhar. Hoje fui à praia e a minha irmã lembrou-se de um episódio nosso de quando éramos mais pequenos. Sempre que víamos o filme da Disney O Livro da Selva riamo-nos imenso com a música Somente o Necessário em especial a parte final em que os macacos gozam com o Baloo, o urso. Rebobinávamos e rebobinávamos a cassete vezes sem conta só para rever essa cena e ríamo-nos sempre. Aliás, ainda hoje me dá vontade de rir. Esse é o momento que agora quero partilhar. Muito provavelmente já terão visto e também se riram. Rir é o melhor remédio por isso riam-se.
P.S. - Este post um pouco intimista sai completamente da linha de posts do blog. Como tal, vou criar uma etiqueta especial para ele: posts do duarte que nada têm a ver com este fantástico blog.

Sem comentários: