9 de junho de 2008

PROFISSIONAIS ACIMA DE TUDO

Acabei de ouvir uma coisa muito curiosa no primeiro jornal da SIC. Nunca tinha ouvido ninguém referir-se aos camionistas por profissionais do volante. Eu também tenho um carro. Será que também sou um profissional do volante, ou é preciso ter um volante de 60cm de diâmetro para ser considerado profissional do volante. Sou extremamente profissional a guiar por isso agora fiquei com dúvidas. Talvez seja para dar ênfase ao facto de serem profissionais. Quais bestas-quadradas ao volante?! Estes homens são especialistas!
Outra coisa... Porque é que chamam profissionais do táxi aos taxistas? Porque não simplesmente taxistas? De profissional não têm nada. Eu diria mesmo que são os espécimes mais inqualificáveis para ter um carro nas mãos. Para eles não há pisca para a direita nem para a esquerda (deve ser para poupar), atiram-se de qualquer maneira nas rotundas e cruzamentos, param em qualquer lado de qualquer maneira sem se importarem com os outros que têm de ficar à espera. A desculpa é sempre a mesma "Oh meu amigo não vê que estou a trabalhar!?". Claro, o Sr. está a trabalhar! O resto das pessoas anda só a passear. A cidade é bonita e gostamos de ver as ruas, os monumentos, gastar combustível... Enfim nós somos só amadores, os profissionais é que têm razão.

3 comentários:

JGP disse...

Apoiado!

António Lopes da Costa disse...

Duarte, não queria ser do contra, mas, neste caso, os camionistas são profissionais do volante porque essa é a sua profissão, assim como acontece com os taxistas, ao contrário do que acontece com qualquer um de nós, que não fazemos da condução a nossa profissão.
Nesse sentido, nós não somos remunerados por conduzirmos, ao contrário do que acontece com os camionistas que, neste momento, enfrentam enormes dificuldades e que gastam metade do seu salário no pagamento dos combustíveis, cada vez mais caros, e, por isso, merecem a minha solidariedade.

DGC disse...

Pois António até podes ter razão em relação às dificulades que os camionistas passam. É verdade que a vida está muito complicada nesse e noutros sectores, como a agricultura. Nós por exemplo deixamos de produzir arroz na Chamusca porque simplesmente ao preço a que está o gasóleo agrícola, não compensa produzi-lo. Mas neste post não estou de forma alguma a insurgir-me contra os camionistas, apenas procuro ridicularizar a denominação que lhes é atribuída. Eu quando acabar o meu curso serei Gestor e não profissional da gestão, apenas isso.