16 de junho de 2008

VIATURAS DE SONHO

Hoje é uma data histórica. Faz 2 meses e 20 dias que o Gameirices não organiza nenhuma votação parva. Como já se falou aqui há tempos, e a pedido de alguns leitores, decidimos iniciar um projecto épico (nunca antes tentado em Portugal, na Europa, ou mesmo em Lisboa) para encontar a viatura motorizada automóvel mais querida do povo lusitano.

Dos anos 70 até hoje as vias nacionais são percorridas por máquinas de fazer inveja a alguém que ande todos os dias de bicicleta, patins ou trenó. São chaços: ou foleiros, ou feios, com ou sem cortinados, barulhentos, com má escolha de cores, datados, quadradões, ou aptos para o tunning ou para levar a senhora a piquenicar.

Em Portugal o carro é, desde tempos imemoriais, símbolo de ostentação, virilidade e de sucesso. Para o tuga, ter um carro um pouco acima daquilo que pode é mais importante do que ter comida na mesa, poder passar umas férias no estrangeiro, pagar os estudos dos catraios, ou abastecer o próprio carro de combustível. Aliás, o carro é melhor que esteja parado ao pé do quintal, para o vizinho ver.

Na senda de encontrar a Viatura de Sonho escolhemos 25 maquinões desde meados da década de 70 até à nossa era.

São eles:
BMW Serie 3 E30 (1981)
Citroën AX (1986)
Citroën Saxo (1996)
Citroën XM (1989)
Fiat Multipla (1998)
Fiat Panda / SEAT Marbella (1980)
Fiat Punto 1 (1993)
Fiat Uno (1983)
Ford Escort V b (1992)
Honda CR-X (1983)
Mazda MX-6 (1988)
Mercedes-Benz 190 D (1982)
Opel Corsa A (1982)
Opel Kadett E (1984)
Opel Rekord E (1977)
Peugeot 405 Mi16 (1987)
Peugeot 504 carrinha (1970)
Peugeot 505 carrinha (1979)
Renault 19 (1988)
Renault Clio (1990)
Renault Twingo (1992)
Subaru GL (1984)
Toyota Corolla E90 (1987)
Volkswagen Passat 2 (1981)
Volvo 340 (1976)

Mais tarde apresentaremos imagens a condizer, e iniciaremos a votação. E por mais tarde, queremos dizer, logo à noite, se nos apetecer.

PS - A imagem é de um Toyota Carina 1600 sedan de 1978. Não nomeado... Imaginem os outros.

1 comentário:

tiagugrilu disse...

Cirtoën AX, sem dúvida.