30 de novembro de 2006

OVERDOSE DE PONTUAÇÃO

Aha! Já posso escarnecer!

Contagem de pontuação do post "Análise da semana - a mais completa" de DGC:
- Vírgulas: 5
- Pontos de exclamação: 4
- Pontos de interrogação: 2
- Travessões: 2
- Reticências: 2
- Pontos finais: 2
- Parêntesis: 1 (Ou 2... Mas são indissociáveis.)

Análise

Claramente DGC aparenta ser ponderado. Uma pessoa pausada e que pensa os seus argumentos, como demonstra o elevado número de vírgulas. Algo que também transparece é a brutalidade, patente na constante utilização de pontos de exclamação: 5 (!). DGC gosta de contrastes. Pausas virgulares intercaladas com desconcertantes exclamações e admirações. Irascível, mas no entanto pausado e reticente. Podemos também destacar quer a sua reticência (reveladora de pergunta retórica) utilizada por 2 vezes, quer a sua interrogação pertinente (2 vezes também), relacionada com os problemas da sociedade moderna. Recorre até ao interrobang separado, imagine-se. Reticências e pontos de interrogação surgem em igual número de vezes aos dos pontos finais, ou seja, estão ao nível do ponto que não revela nada, o ponto do mistério. Um discurso exclamativo, pausado, retórico, e, no entanto, intrigante e místico.

Tudo isto é bonito. Eu, que queria troçar, vejo-me forçado a recorrer a uma falha menor para o fazer: parêntesis ou travessões? Decide-te DGC. Assim é que não. Servem os dois para o mesmo. Se bem que, hum... Pensando bem... Um parêntesis em Faculdade de Economia - Universidade Nova de Lisboa não ficaria lá muito bem. Raios!

JGP


PS - Utilizei neste post 16 pontos finais, 16 vírgulas, 10 "dois pontos" (diz-se assim?), 4 pontos de exclamação, 4 parêntesis, 3 reticências, 1 ponto de interrogação e 1 travessão. Claramente sou um homem sem expressividade nenhuma e muito monótono. 16 pontos finais? O que é isto? Vergonhoso... Mais emoção! Mais indignação! Isto não é para adormecer o leitor! 10 "dois pontos"! Nojento... Para quê tanta explicação e demonstração? Para quê listagens de pontuação! Para quê?


PPS - Lembrei-me agora que MAS criticou há dias o meu critério de colocação de vírgulas. "Parvo e imbecil", como o classificou, diz MAS que o meu discurso é confuso, extenso, absurdo e revelador de escrita em cima do joelho. Hei-de me vingar MAS. Hei, de, me, vingar,

Sem comentários: