19 de dezembro de 2008

PINCELADAS ERÁSMICAS

O Erasmus já acabou. Foi bom, contudo também sabe bem voltar para casa, à nossa velhinha (e caduca) nação portuguesa. Depois de 3 meses na cidade das luzes finalmente tenho consciência que Lisboa é uma cidade muito pobrezinha culturalmente e mínima em termos de área. O semestre acabou por ser mais um trimestre e tudo aconteceu muito rápido. Não podia deixar de publicar qualquer coisa sobre a minha experiência.
Em vez de escrever um texto de 10.000 palavras optei por apresentar o que significou para mim o erasmus e Paris por tópicos. É muito mais simples e menos aborrecido para o leitor.
Embora algumas peripécias não tenham sido muito agradáveis agora que olho para trás regozijo com as mesmas. O que não mata engorda e o que é verdade é que voltei são e salvo. Espero que se divirtam com este aglomerado de letras, de palavras, de frases que expressam acontecimentos variados.
Paris/Erasmus é:
Rapar frio; Sobreviver numa casa cheia de baratas; Plagiar, ser apanhado e passar o último fim-de-semana a refazer um trabalho, e ainda por cima ficar doente; Ir ao Louvre umas 9 vezes; Beber um Red Bull ao pequeno almoço para conseguir estudar; Encontrar 20 euros ingleses no chão; Ter um escadote de baixo da cama; Pães com chocolate e M&M’s; C'est pour la petite bourgeoisie qui boit du champagne; Um projecto de uma pirâmide de garrafas de cerveja falhado; Nereida e Cia.; Adorar dicionários; Tentar instruir nos franceses o gosto pela feijoada; Tomar banho com o molho do jantar da noite anterior; Casacos que custam os olhos da cara; Ser barrado porque se usa ténis e não os sapatos do Aladino; Chegar sempre atrasado a todas as aulas; Não perceber nada de Análise Financeira, pelo menos em francês; Faltar à Golegã; Acreditar piamente que se vai mesmo ganhar €100,000 no UNO do McDonald’s; Atravessar Paris de uma ponta à outra de bicicleta à noite; Panados, salsichas e bifes de peru; Adorar o Limewire ; Voyage aux pays du coton ; Descobrir que afinal existe alguém mais estúpido que o João Pinto: Parabéns Rock!; Não ver televisão durante 2 meses; Ficar de olhos fechados na única fotografia que se tem com o rato Mickey; Sem-abrigos; Conhecer um comerciante de livros negro à saída do metro que idolatra o Chalana; Ter as mãos a cheirar a cebola durante 2 dias; Ser presentiado com um anel de “ouro” num encontro fortuito na rua sem razão aparente; Assistir ao L’oiseau de feu de Stravinsky interpretado pela orquestra de Paris dirigida por Pierre Boulez debaixo da pirâmide do Louvre; Pagar €5 por 20 cl de cerveja; Ter de estudar pelos apontamentos em francês da Stéphanie cheios de abreviaturas que mais parecem hieróglifos egípcios; Esto es un atraco!; Fazer uma apresentação de francês em menos de meia hora sobre Lisboa; Uma festa e um passeio no Sena; Ver filmes no cinema que só vão sair em Portugal daqui a uns meses; “Encher o bucho” até não puder mais no fim-de-semana de integração; Não lavar os lençóis durante 2 meses e meio; "Quel sauce monsieur?"; Pagar €115.50 de excesso de peso na volta para Portugal.
E foi assim... Obviamente falta muita coisa mas ficam ainda assim algumas nuances.

5 comentários:

Vasco Cid disse...

Mano, como eu percebo toda esta descrição! Metade dos pontos, só quem os viveu é que os percebe, mas há tanta coisa por trás comum a este espírito. Tendo eu também feito Erasmus, sei perfeitamente tudo o que quer dizer. Ler esta crónica cheia de graça, só me faz ter mais saudades dos meus seis meses na áustria.
Grande Abraço!

JGP disse...

Muito bom! Só faltou dizeres: "encontrar amigos de Portugal por acaso no Louvre sem combinação prévia e que também por acaso estavam a dormir em minha casa".

Tomás Mesquitella disse...

Grande Duaaarte! Tá brilhante esta descrição! Agora aquilo dos lençois com 2 meses e meio de cama é que foi ..han!! Havias de ver a minha cara.. eu todo sorria a ler o post. Quando chego à parte dos lençois. AHAH! Tou contente por tares de volta! Grande Abraço

VNS disse...

"Tentar instruir nos franceses o gosto pela feijoada"
Conseguiste?

De resto, boa descrição!

DGC disse...

Acho que eles não gostaram muito...